Notícias

Taxa do novo parcelado deve convergir com a do atual, diz Abecs

por Notícias às 10:15 de 16/02/2017 em Mercado de Cartões

Fonte: Valor Econômico

A Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito (Abecs) reiterou ontem que os bancos emissores de cartões de crédito trabalham para que os juros da nova linha oferecida aos consumidores que usarem o rotativo do cartão de crédito além de 30 dias se alinhem com os do parcelado convencional, hoje em 154% ao ano, em média.

No comunicado, a Abecs responde à reportagem publicada pelo Valor, que indica que a nova linha vai custar mais caro do que o parcelado atual em razão do risco de crédito do tomador ser superior ao do cliente que hoje usa o parcelamento com juros no cartão. Segundo a Abecs, as instituições emissoras de cartão de crédito estão trabalhando "com o devido rigor" para apresentar soluções que atendam a regulamentação e permitam "uma convergência das taxas de juros do cartão para patamares compatíveis com aqueles já praticados no parcelamento da fatura".

A associação, que reúne as principais empresas do setor, afirmou ainda que "reforça o compromisso de colaboração do setor com o Banco Central na criação de modelos que ofereçam melhores condições de prazos e taxas no cartão de crédito para os consumidores". O setor está preparando uma ampla comunicação para o devido esclarecimento aos clientes acerca das novas regras do rotativo.

Também ontem o Banco do Brasil foi a primeira instituição a divulgar as novas regras para o uso do rotativo do cartão de crédito, válidas a partir de 3 de abril. O banco explica que, a partir das faturas que vencem em 3 de maio - o primeiro ciclo de vencimento após o início da nova regra -, os clientes terão que liquidar o saldo remanescente da fatura anterior ou contratar um parcelamento.

Prometendo ser exaustivo na comunicação, o banco diz ainda que o valor do pagamento mínimo da fatura passa a ser composto pelo saldo não pago da fatura anterior, se houver, somado aos encargos do rotativo, mais 15% sobre os gastos do mês e mais o valor das parcelas de financiamentos de faturas anteriores, caso existam.

O BB chegou a afirmar por meio de sua assessoria de imprensa que os juros do novo parcelado oferecido aos consumidores que usarem o rotativo do cartão de crédito além de 30 dias seriam similares às linhas atuais de parcelamento do banco, mas voltou atrás. Segundo o BB, é possível dizer apenas que as condições oferecidas no novo produto serão mais vantajosas do que as do rotativo do cartão. As taxas atuais da linha de parcelamento da instituição estão entre 3,13% e 9,38% ao mês, o equivalente a algo entre 45% e 185% ao ano.