Notícias

Diretor do BC defende educação financeira

por Notícias às 09:59 de 08/11/2017 em Mercado de Cartões

Diretor do BC defende educação financeira

O diretor de Política Econômica do Banco Central (BC), Carlos Viana, afirmou ontem que o desenvolvimento de uma maior educação financeira no Brasil pode trazer efeitos macroeconômicos positivos.

Entre esses ganhos, ele mencionou a redução do custo do crédito e da taxa de juros estrutural da economia do País. A declaração foi dada durante participação do diretor em painel da terceira edição do Fórum de Cidadania

Financeira, evento promovido pelo próprio BC, em Vitória, no Espírito Santo.

"Se as pessoas têm mais educação financeira, isso significa um melhor uso do crédito e, portanto, uma menor inadimplência, e nós sabemos que a inadimplência faz parte do custo do crédito, do spread bancário", disse o diretor do BC. "Além disso, se as pessoas estão mais conscientes, aumenta a propensão a poupar e, quanto a poupança aumenta, isso reduz a taxa de juros estrutural da economia", acrescentou o executivo.

Viana ressaltou ainda que a literatura econômica tem demonstrado que desenvolvimento financeiro e desenvolvimento econômico "andam de mãos dadas", dando como exemplo que o maior acesso ao crédito tem efeito na escala de produção das empresas. Ele também destacou que inclusão financeira e estabilidade estão relacionadas.

Os juros e o spread bancário no Brasil estão entre os maiores do mundo. Mesmo com o recuo recente, a taxa básica de juros real continua superior a 4% ao ano.