Notícias

ABECS VAI PASSAR A DIVULGAR TAXAS DE JUROS MÉDIAS DO CRÉDITO ROTATIVO E PARCELADO

por Notícias às 10:17 de 16/02/2017 em Mercado de Cartões

Fonte: Broadcast AE

São Paulo, 15/02/2017 - A Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs) vai ampliar a sua base de dados na esteira da mudança do crédito rotativo e passar a divulgar os juros médios cobrados na modalidade e ainda no parcelamento da fatura. A publicação, conforme a entidade informou ao Broadcast, ocorrerá nos próximos meses.

"A nova base permitirá o acompanhamento das taxas que efetivamente correspondem ao rotativo, diferenciando-as dos juros cobrados em atraso, o que permitirá maior transparência e melhores esclarecimentos sobre a composição e a evolução das taxas junto ao Banco Central e à sociedade", destaca a Abecs, em nota.

A associação lembra ainda que as instituições emissoras de cartão de crédito trabalham com "o devido rigor" para apresentar soluções que atendam à Resolução CMN nº 4.549, de 26 de janeiro de 2017, que estabelece em 30 dias o período máximo para a permanência no crédito rotativo a partir de 3 de abril. Conforme a nova regra, se a dívida não for paga, terá de ser transferida para outra modalidade de crédito, como o parcelado no cartão, que tem custo menor.

"A Abecs reforça o compromisso de colaboração do setor com o Banco Central na criação de modelos que ofereçam melhores condições de prazos e taxas no cartão de crédito para os consumidores", reforça a entidade, acrescentando que o setor prepara "ampla comunicação" para informar os clientes sobre as novas regras do rotativo do cartão de crédito.

O Banco do Brasil, por exemplo, divulgou hoje as novas condições para uso do rotativo em seu cartão tanto para pessoas físicas quanto jurídicas. De acordo com o banco, a partir das faturas que vencem em 3 de maio, os clientes terão de obrigatoriamente liquidar o saldo remanescente da fatura anterior ou contratar um parcelamento. Já o pagamento mínimo da fatura passa a ser composto pelo saldo não pago da fatura anterior, se houver, acrescido dos encargos do rotativo, mais 15% sobre os gastos do mês e ainda o valor das parcelas de financiamentos de faturas anteriores, caso existam.

Segundo o banco, o cliente poderá escolher a condição de parcelamento da fatura e, caso não o faça, o parcelamento será feito automaticamente em 24 meses, desde que haja pelo menos o pagamento de valor igual ou maior que o exigido como entrada. Em janeiro, o BB antecipou parte dos efeitos das medidas ao reduzir em 4 pontos porcentuais os juros do rotativo. O banco não divulgou novas taxas, mas informou que os juros atuais da linha de parcelamento estão entre 3,13% e 9,38% ao mês.

(Aline Bronzati - aline.bronzati@estadao.com)